• Viviane Campos

Que tal decorar suas ceias de final de ano com flores comestíveis?


Conheça algumas espécies que deixarão seus pratos ainda mais bonitos, e descubra como cultivá-las em casa

As comemorações de final de ano, como o Natal e o Ano Novo, estão se aproximando e, com elas, as atenções e expectativas em relação ao preparo das ceias. Para deixar seus pratos mais especiais, uma ótima opção é decorá-los com flores comestíveis. Além de levar mais cor e vida para a sua ceia, essas plantinhas têm sabores únicos e deliciosos. 

Vale ressaltar que nem toda flor é comestível, algumas são consideradas tóxicas. Por isso, a melhor maneira de aproveitar as flores comestíveis é cultivando-as em casa, para ter a certeza de estar consumindo um produto saudável, seguro e livre de agrotóxicos. Elas vão embelezar seus pratos, e também o cantinho onde escolher plantá-las. 

Algumas espécies têm um cuidado bem simples e são muito versáteis, podendo ser utilizadas no preparo de geleias, doces, saladas ou, até mesmo, nos pratos principais.

Não tem certeza por onde começar? A Tramontina dá algumas dicas de espécies que podem ser cultivadas e consumidas em casa e a melhor maneira para cuidar de cada uma.



  • Amor-perfeito: A ampla variedade de cores da espécie Viola tricolor, até mesmo em uma única flor, tornam sua presença notável quando plantada em vasos! As flores do amor-perfeito formam-se no inverno e primavera, e, no verão, normalmente cessam. Porém, em regiões de clima mais ameno, pode ser considerada uma flor perene. Na hora de plantar em jardins externos e canteiros, opte por maciços densos, como espécie de forração. Além disso, ela cresce melhor quando cultivada à meia-sombra, protegida do sol forte, em terra fértil, rica em húmus.



  • Capuchinha: Classificada como planta trepadeira, de hábito herbáceo, a Tropaeolum majus floresce na primavera e verão, nas cores alaranjado, amarelo, vermelho, rosa e creme. Com sabor picante, é uma ótima opção para incrementar saladas frescas. Apesar de se espalharem sobre o solo, ficam muito bonitas em vasos, pois preenchem toda a superfície. O cultivo da Capuchinha é simples, sem demandar muitos cuidados e com brotação e florescimento rápidos, por isso, fique à vontade para podar e utilizar as flores e as folhas em seu prato!


  • Hibisco: Originário do continente asiático, o Hibiscus rosa-sinensis apresenta uma flor ornamental avermelhada e de maior porte. Pouco exigente em cuidados e com ciclo de vida longo, o hibisco floresce especialmente na primavera e no verão. Por ser uma planta alta, alcançando 2 a 3 metros de altura, as podas além de fazerem parte de sua manutenção (retirada de galhos secos e mal posicionados), podem contribuir para manter o pequeno porte da planta, sendo possível, dessa maneira, cultivá-la em vasos. 



  • Tagete: A Tagetes patula, popularmente conhecida como cravo da índia, é uma planta de origem mexicana e de pequeno porte. Na culinária, é reconhecida por conta do seu sabor amargo. Apesar disso, é comestível e utilizada em saladas, pães, molhos e até em bolos. Adicionar ela em sua horta pode ser bem interessante, pois além de ser comestível e embelezar os canteiros, serve de repelente contra a mosca branca e os pulgões e também protege o solo contra nematóides. É fácil de cultivar e pode se desenvolver tanto em canteiros como em vasos.



  • Violeta perfumada: Delicada, a Viola odorata é muito popular como planta ornamental. Ela se desenvolve preferencialmente à meia-sombra em solos úmidos e ricos em matéria orgânica. Neste caso, os vasos autoirrigáveis são uma ótima opção para que sua planta fique sempre hidratada. Além de não ocupar muito espaço, a violeta é fácil de cultivar, sendo uma excelente espécie para se ter dentro de casa. 


Agora que você já tem as dicas de como cuidar e plantar suas flores comestíveis, é só soltar a imaginação e criar belos pratos, fazendo bonito na sua ceia de Natal. Afinal, comida também se come com os olhos!


Fonte: Tramontina

Crédito das fotos: (Divulgação / Tramontina)