top of page
  • Foto do escritorViviane Campos

Misturas lácteas se tornam frequentes em prateleiras de supermercados. Consumidor deve ficar atento

Para oferecer um produto com preço mais acessível ao consumidor, alguns fabricantes recorrem ao soro do leite para compor uma bebida láctea, que é bem diferente do leite integral. Especialista explica diferença entre os dois.



Nos últimos meses, consumidores de todo Brasil começaram a observar nas prateleiras dos supermercados mudanças nos rótulos de alguns produtos derivados do leite. Produtos como bebida láctea à base de leite, mistura láctea condensada, doce de soro de leite e mistura láctea sabor requeijão, começaram a ser comercializados nas prateleiras, ao lado do leite integral, o leite condensado, doce de leite, requeijão, entre outros. Mesmo sendo parecidos, os dois itens não são a mesma coisa.


“O leite integral tem um valor nutricional alto em proteínas e cálcio e esse percentual muda quando uma indústria acrescenta maior volume do soro do leite, afetando seu valor nutricional”, explica a engenheira de alimentos da Marajoara Laticínios, Annyelle Couto.


Segundo tabela comparativa elaborada com colaboração de profissional  da Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite), publicada pelo portal G1, o leite integral é composto por cerca de 6,6g de proteína e 280 mg de cálcio. Se uma bebida láctea for adicionada de 60% de soro de leite, por exemplo, a proporção cai para 2,4g de proteína (apenas 36%) e apenas 95 mg de cálcio (33% do que vem na bebida tradicional). Além da queda do valor nutricional, Annyelle comenta que o sabor das receitas também podem ser alteradas com a substituição.


“No caso do uso da mistura láctea condensada, no lugar do tradicional leite condensado, podem acontecer alterações sensoriais como cor, sabor e odor”, diz. A engenheira de alimentos esclarece que a produção de bebidas lácteas à base de soro de leite é permitida, porém o importante é deixar claro para o consumidor se o produto na prateleira é o tradicional, feito com leite integral, ou se ele usa maior proporção de soro de leite, o que o classifica de forma diferente. 


Embalagem


O gestor de marketing da Marajoara Laticínios, Vinícius Junqueira, tem observado que, na maior parte dos casos, a embalagem dos produtos com leite integral e os feitos com soro de leite são praticamente idênticas, o que induz o consumidor ao erro, pois é minoria que  lê os rótulos da composição e comparam a diferença do valor nutricional entre ambas.


“Às vezes, pela pressa do dia a dia ou pela dificuldade de leitura ou compreensão, as pessoas fazem uma leitura dinâmica e nem percebem a diferença entre os dois produtos. Acabam escolhendo o mais barato, acreditando estarem levando o melhor alimento para a família com mais economia”, diz.


Ele lembra que ano passado foi aprovada uma nova normativa pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a RDC nº 429/2020 e a IN nº 75/2020, que traz alguns avanços, mas precisa ser aprimorada quanto à questão das embalagens de produtos similares. “Essa solução é uma responsabilidade dos órgãos regulamentadores, mas os fabricantes também precisam ter a consciência de promover uma comunicação visual eficaz”, avalia ele. 


Foto: divulgação

Comments


bottom of page