• Viviane Campos

Família Salton chega aos 111 anos focada nos pilares de inovação, tecnologia e sustentabilidade

Presente em mais de 30 países, a Salton é a marca de espumantes mais consumida no Brasil


A Família Salton chega aos 111 anos nesta quarta-feira, dia 25, consolidando-se como líder na venda de espumantes no país e, sobretudo, visando inovação, tecnologia e sustentabilidade. O protagonismo da marca na última década, que cresceu cerca de 70% neste período, é responsável por torná-la referência nacional no mercado de espumantes. Para exemplificar sua representatividade, a cada 10 espumantes que são abertos no Brasil, quatro são da Salton (Nielsen, 2020). Além disso, seus rótulos são comercializados em mais de 30 países, reforçando o pioneirismo da marca que abre cada vez mais espaço para a exportação de espumantes e vinhos brasileiros. De olho na diversificação de negócios, a companhia prepara um novo empreendimento enoturístico na Serra Gaúcha e planeja, até 2030, atingir o faturamento de R$ 1 bilhão, além de se tornar carbono neutra.

Vinícola mais antiga em funcionamento no Brasil, a Salton é ainda a primeira e única marca brasileira a conquistar o topo do ranking na pesquisa Brazil Wine Brands Power (Wine Intelligence, 2018). Mais recentemente, criou um Núcleo de Inovação, Pesquisa & Desenvolvimento que, em parceria com universidades, projeta soluções do campo à indústria, garantindo as melhores práticas e incentivando o desenvolvimento de toda a cadeia vitivinícola. Os resultados se expressam por meio de seus rótulos que acumulam mais de90 premiações nacionais e internacionais, apenas nos três últimos anos. Em julho deste ano, seus espumantes receberam seis medalhas em Londres, em um dos mais importantes concursos de vinhos do mundo, o Decanter World Wine Awards.

E o reconhecimento internacional se reflete também nos indicadores de exportação da marca. Se em 2020 a Salton enviou mais de 1,1 milhão de garrafas para fora do Brasil, a expectativa é que neste ano o mercado internacional se mantenha aquecido, superando os índices já bastante positivos do ano anterior. Isso porque o primeiro trimestre de 2021 fechou com 75% de aumento no volume exportado, comparado ao mesmo período do ano anterior. O principal mercado consumidor da marca, fora do Brasil, é o norte-americano.

Rumo ao R$ 1 bilhão

A companhia enxerga potencial para elevar seus números de produção e de faturamento de forma expressiva até 2030. A meta de R$ 1 bilhão de faturamento representa o dobro do valor previsto para 2021 e é projetada com base no crescimento exponencial registrado nos últimos 20 anos na Família Salton. “A companhia cresceu muito nos últimos anos, com uma impulsão percebida desde os anos 1990. Enxergamos ainda um grande potencial de mercado, já que a qualidade de nossos produtos surpreende cada vez mais paladares pelo mundo afora. Por isso, investimos constantemente no aprimoramento das condições técnicas, mantendo elevados os padrões de qualidade e atendendo às exigências de nossos consumidores habituais, mas já de olho em novos públicos. Observamos, por exemplo, um movimento geracional de comportamento de consumo com os jovens adultos, atualmente, mais dispostos à descoberta do universo dos espumantes e vinhos que nas gerações anteriores”, explica o diretor-presidente, Maurício Salton.

Caminhos de Pedra receberá novo projeto enoturístico da Salton

Protagonista no desenvolvimento enoturístico de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, a companhia investe agora na expansão de suas atrações na região. Além da vinícola, localizada no Vale do Rio das Antas, um novo empreendimento da Família Salton deve abrir suas portas no próximo ano. Inspirado na Casa di Pasto que deu origem à vinícola, no final do século XIX, o novo espaço está em construção no roteiro turístico Caminhos de Pedra. O empreendimento foi projetado com foco em experiências enogastronômicas com os principais rótulos e edições limitadas da marca, envolvendo seus visitantes em uma verdadeira imersão no universo dos espumantes e vinhos.

Muito além das metas de expansão econômica, contando hoje com mais de 400 colaboradores, a Salton desenvolve uma gestão voltada às pessoas, estimulando o bem-estar, a qualidade e desenvolvimento. “Temos quatro eixos que nos direcionam e que são nossos pilares: família, tradição, transformação e espírito. Os valores que fazem parte de nosso dia a dia - que vão desde uma recepção acolhedora a um novo colega, até a formação de equipes comprometidas - simbolizam uma verdadeira família, que vai muito além do conceito de sobrenome”, descreve Maurício. “Juntos, atravessamos cenários incertos, como o que vivemos em 2020, e que foi superado, nos fazendo crescer como profissionais e como pessoas”, finaliza.


Vinícola trabalha para ser carbono neutra até 2030

Dentro do eixo de sustentabilidade, a Família Salton trabalha para se tornar a primeira companhia do setor vitivinícola no Brasil a ser carbono neutra, em toda sua cadeia produtiva, até 2030, com um projeto que já está em andamento. Em parceria com a Universidade de Caxias do Sul (UCS), a pesquisa identificará o impacto ambiental da Salton, mapeando as melhores práticas, propondo ações mitigatórias, preparando a empresa para reduzir novas emissões e, eventualmente, compensar as que não podem ser evitadas, seja por meio de compra de créditos de carbono ou reservas ambientais. “A Salton está sendo pioneira em identificar estes dados, inéditos no Brasil e que servirão de base científica a todo o setor, escrevendo um importante capítulo na história da vitivinicultura nacional, voltado à sustentabilidade. Entendemos que esta contribuição irá transcender a esfera produtiva-econômica, ampliando o nosso compromisso com toda a sociedade”, completa Maurício.

A pesquisa faz parte do Núcleo de Inovação, Pesquisa & Desenvolvimento da Família Salton, criado em 2020 para unificar todos os projetos que ocorrem em paralelo dentro da companhia envolvendo as áreas de viticultura, enologia, produção e distribuição. Também fazem parte do Núcleo o Programa Terroir Salton, iniciado em 2014, e o Projeto Campanha, criado em 2016 e que inclui uma parceria com a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Enquanto o primeiro integra e aproxima mais de 60 famílias de viticultores do Rio Grande do Sul, parceiras da Salton, em torno de um programa avançado de boas práticas vitícolas, o segundo busca, na região da Campanha Gaúcha, aprofundar o conhecimento técnico e do potencial vitícola da região. São realizadas análises avançadas de solo, clima, relevo, compreendendo desde as características físico-químicas e as interações com a videira, combinadas com intervenções ideais para um vinhedo eficiente, produtivo e sustentável.

A Salton tem suas operações divididas em quatro unidades de negócio. A vinícola tem sede em Bento Gonçalves (RS); e conta ainda com a Azienda Domenico, em Santana do Livramento (RS); a Enoteca Família Salton, em São Paulo (SP); e o Complexo Presidente, em Jarinu (SP). Na Azienda Domenico, unidade da vinícola na Campanha Gaúcha, novos vinhedos estão sendo cultivados já no modelo de manejo sustentável, orientados para automação e inseridos nos conceitos da viticultura de precisão.

O foco em inovação e tecnologia projeta soluções do campo à indústria, garantindo as melhores práticas e incentivando o desenvolvimento de toda a cadeia vitivinícola do Brasil. Fotos: crédito no nome do arquivo.