top of page
  • Foto do escritorViviane Campos

Em edição histórica, XI Femaçã encerra com recorde de público

Festa reuniu mais de 70 mil pessoas em sete dias de programação, que incluiu shows nacionais e regionais, palestras e eventos voltados para todas as idades. Com 130 expositores, levantamento aponta que mais de R$ 15 milhões em negócios foram gerados


Com um público que superou as 70 mil pessoas, a XI Festa Nacional da Maçã e Feira Agroindustrial (Femaçã), na Serra Gaúcha, entra para a história como a mais prestigiada de todas as edições. O encerramento oficial ocorreu na noite de domingo (23) e fechou um ciclo que mesclou diversão, com shows nacionais e regionais, cultura, entretenimento, esporte, lazer e boa gastronomia, em sete dias de programação. Com 130 expositores de segmentos como artesanato, comércio, indústria, máquinas, veículos e implementos agrícolas, mais de R$ 15 milhões em negócios foram gerados durante a feira.


No evento que celebrou o pioneirismo de Veranópolis no cultivo da maçã no Brasil, o município também reconhecido como a Terra da Longevidade mais uma vez abraçou a Femaçã, com o trabalho de 200 voluntários, coroando a edição deste ano como uma das principais festas comunitárias do Sul do país.


Um dos destaques do último fim de semana foi o show com Alexandre Pires, no sábado (22). Cerca de 3,2 mil pessoas dançaram por três horas ao som do "Baile do Nêgo Véio 2”, que resgatou os principais hits dos anos 1990. No último dia 15, a dupla César Menotti e Fabiano já havia lotado o Ginásio Leonir Farina, com a apresentação “Os Menotti”, para um público de 3 mil fãs.


O presidente da XI Femaçã, Vagner Cielo, valorizou as novidades desta edição que, segundo ele, contribuíram para que a festa superasse as projeções mais otimistas. O presidente citou o Espaço das Comunidades - que revisitou os costumes e tradições de 11 capelas do município -, a diversidade dos shows e das demais apresentações artísticas e a organização de todos os atrativos da programação.


“A Femaçã é muito mais do que uma feira. É uma verdadeira experiência para os visitantes. Recebi relatos de pessoas que vieram mais do que uma vez, que se emocionaram com as histórias das comunidades que traduzem os 125 anos de Veranópolis, e que não veem a hora de poder voltar. Colhemos aqui os frutos de levar adiante a nossa missão de ousar, inovar, de fazer o diferente, o improvável”, disse Cielo, que no evento de encerramento conduziu o cerimonial e agradeceu, em nome da diretoria, a todos que trabalharam pela festa.


O prefeito de Veranópolis, Waldemar De Carli, destacou que a Femaçã demonstra o potencial turístico do município, que conta com atrativos especiais e que puderem ser conhecidos pelo público no período da festa. O prefeito citou uma das características dos veranenses, de receber bem a todos, e os indicadores que colocam a cidade no 5º lugar no Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (Idese) do Estado do Rio Grande do Sul e em 2º no ranking das cidades de 20 mil a 100 mil habitantes.


O trio de soberanas, a imperatriz Taís Munaretti e as princesas Gisele Rebelatto da Fonseca e Angélica Verruck, revelaram a emoção e a gratidão de representar o maior evento de Veranópolis em seus discursos de despedida da festa. Taís reforçou que a 11ª da Femaçã deixa um marco na história pelo número de visitantes, de atividades, pela diversidade na programação e pelas atrações e experiências inéditas.


“A Femaçã é uma grande família, e tudo isso foi possível graças a inúmeras pessoas que se dedicaram ao nosso evento. O sentimento já é de saudade de tudo que vivemos nos últimos meses e, principalmente, nesses sete dias festivos. Mas também é de alegria, gratidão e dever cumprido. Levamos conosco cada sorriso, cada abraço e cada momento que compartilhamos juntos como uma lembrança preciosa”, discursou a imperatriz da XI Femaçã.


Abba Experience fechou programação de shows


Logo após a cerimônia de encerramento, quem fechou a programação de shows foi o Abba Experience, no palco Gala, com uma apresentação tributo a uma das bandas mais lendárias da história da música pop. Hits como “Mamma Mia” e “Dancing Queen” colocaram o público para dançar no Ginásio Leonir Farina.


Ao longo das duas últimas semanas, eventos esportivos também fizeram parte da programação da XI Femaçã. Um dos destaques foi o Encontro de Carros Antigos e Aviões, no dia 16, que contou com a participação de 700 automóveis e 13 aeronaves e movimentação de cerca de 10 mil pessoas. Na mesma data foi quebrado o recorde de bilheteria em um único dia, com 18 mil pessoas no Parque de Exposições José Bin.


Artistas como Claus e Vanessa, Barbarella, João Luiz Corrêa, Carlos Magrão, The Beatles no Acordeon, Quarteto New Orleans, Orquestra de Sopros e Coro de Veranópolis, a final do 2º Femaçã Kids e dezenas de músicos da região e do Estado estiveram entre as 100 atrações do evento.  


Além das opções musicais, culturais, esportivas e atividades com interação para as crianças, os visitantes tiveram à disposição duas praças de alimentação, com 12 opções gastronômicas. O Espaço da Longevidade apresentou 16 atividades voltadas à saúde e bem-estar da melhor idade, com temas que foram desde a importância dos exercícios físicos, cuidados com a alimentação e com as medicações até a prevenção a golpes.


Espaço das Comunidades estreou com sucesso

 

 De forma inédita, a Femaçã contou nesta 11ª edição com uma área destinada às comunidades do interior de Veranópolis, que celebra neste ano os 125 anos de emancipação do município. No espaço, 11 capelas retrataram os costumes e as tradições que fizeram e ainda fazem parte da história dos moradores. Cerca de 60 integrantes de Lajeadinho, Monte Bérico, Nossa Senhora da Paz, Santa Bárbara, Santa Rita, Santo Izidoro, São Francisco do Retiro, São José da Primeira, São Valentim, Sapopema e Vila Azul compartilharam suas vivências com o público.




CRÉDITOS DAS FOTOS: Siderlei Ditadi/Femaçã

Comments


bottom of page