• Viviane Campos

Conheça os principais sintomas da doença celíaca e aprenda a driblar a má digestão


Para o Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Celíaca, nutricionista do Oba Hortifruti explica sobre os principais sinais que o corpo apresenta devido à intolerância do organismo com a proteína

O glúten faz parte de um composto de proteínas que estão presentes, especialmente, em cereais como o trigo, centeio, malte e cevada. Ao consumi-lo, o organismo é capaz de digerir a substância de forma natural, entretanto, esse processo se torna mais complexo para quem sofre com a doença celíaca. A enfermidade, considerada autoimune, atinge cerca de duas milhões de pessoas apenas no Brasil, segundo a Federação Nacional das Associações de Celíacos (Fenacelbra).

Devido à alta taxa de pessoas que enfrentam dificuldades para processar esses alimentos, foi definido o Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Celíaca, celebrado neste domingo (16). A data tem o intuito trazer à tona o assunto, visto que, muitas vezes, a má digestão do glúten pode causar sintomas silenciosos. Por essa razão, é importante estar atento aos sinais do próprio corpo.

“É comum ocorrer, com mais frequência, problemas relacionados à diarreia, distensão abdominal, anemia, fadiga, dor abdominal e flatulências. O consumo de fontes com a proteína pode favorecer o desenvolvimento de manifestações clínicas, como alergias, irritação e inflamação intestinal, má absorção de nutrientes e até aumento na predisposição para doenças como câncer de intestino”, esclarece Renata Guirau, nutricionista do Oba Hortifruti. O diagnóstico da doença deve ser feito por um médico especialista que, ao ouvir as queixas do paciente, irá solicitar exames capazes de indicar a irritação do organismo. Quando o problema é identificado, o paciente deve estar atento às mudanças que devem ser feitas na alimentação para minimizar o desconforto durante o dia a dia e, além disso, diminuir as chances de desenvolver o quadro. Segundo a nutricionista, a dieta desses indivíduos deve ser rigorosamente restrita no consumo de glúten. Isso porque, mesmo quando consumido minimamente, os alimentos são capazes de desencadear os sintomas. Portanto, torna-se fundamental cortar as fontes de trigo, centeio, cevada e malte. Alimentos comumente processados também devem ser deixados de lado. Além disso, outros tipos de cereais, como a aveia, precisam ser avaliados antes de ingeridos. Os cuidados não param por aí: até com os pets é preciso ter mais atenção, visto que algumas rações podem ter o glúten presente. O animal, que tem o costume de lamber os donos, pode transferir a proteína para pessoas celíacas, aumentando os riscos dos sintomas surgirem novamente. Mas não há motivo para desespero. A alimentação dos celíacos pode ser adaptada para melhorar a qualidade de vida de quem possui a doença. A nutricionista do Oba destaca que é fundamental manter uma alimentação saudável, com consumo adequado de proteínas, sendo eles carnes, ovos, queijos e iogurtes.

Os vegetais e as oleaginosas devem, igualmente, fazer parte do cardápio do dia a dia. Além disso, é interessante investir em alimentos frescos para garantir uma boa nutrição e favorecer o equilíbrio do sistema imunológico, assim como a da saúde do intestino.

"Cuidar da flora intestinal também deve ser uma preocupação e isso é possível com o consumo de alimentos frescos, probióticos e baixa ingestão de alimentos ultraprocessados e açúcares. Para substituir o glúten é necessário evitar suas fontes e optar por produtos elaborados especialmente para dietas com restrição de glúten", complementa a especialista em Nutrição.

Sabe-se que, cada vez mais, as marcas investem nessa área, com opções saborosas e nutritivas, em alternativa para quem não pode consumir a versão convencional dos alimentos. “Pães, bolachas, torradas, farinhas para bolos e tortas podem ser encontradas com facilidade atualmente e as farinhas alternativas, como a de arroz, de castanhas, de mandioca, ajudam na hora do preparo de receitas caseiras”, informa Renata.

Para facilitar a criação dos pratos dentro de casa, a nutricionista indica quatro receitas saborosas, diferentes e "glúten free” para serem apreciadas. Confira:



PÃOZINHO DE LIQUIDIFICADOR


2 ovos

3 colheres de sopa de azeite

½ xícara de chá de leite desnatado ou leite de vegetal

1 colher de café de sal

1 colher de sopa de pissiliun em pó

2 colheres de sopa de semente de gergelim branco

2 colheres de sopa de semente de linhaça dourada

½ xícara de farinha de arroz

¼ de xícara de polvilho doce

¼ de xícara de fécula de batata

1 colher de sopa de fermento em pó

Preparo:

1) Bata tudo no liquidificador, exceto a linhaça e o gergelim.

2) Coloque em forma de bolo inglês untada ou de silicone.

3) Finalize com as sementes e leve para assar até que o pão fique dourado.


MASSA PARA TORTA

3 ovos

250 mL de água

1/3 de xícara de chá de azeite

2 xícaras de chá de farinha de arroz

1 colher de sopa de amido de milho

1 colher de sopa de fermento em pó

1 colher de chá de sal

Preparo:

1) Bata tudo no liquidificador.

Sugestões de recheio: frango desfiado com legumes, atum com tomate, cogumelos com espinafre, palmito com orégano, legumes variados.


TOMATES RECHEADOS

4 tomates médios, não muito maduros

4 colheres de sopa de quinoa em flocos

2 ovos

1 colher de sopa de bacon picadinho

2 colheres de sopa de cheiro verde picadinho

2 colheres de sopa de parmesão ralado

Preparo:

1) Corte a tampa dos tomates e retire a polpa, abrindo espaço para o recheio.

2) Em uma panela, frite o bacon na própria gordura.

3) Quando o bacon estiver bem sequinho, desligue o fogo e acrescente os ovos, o cheiro verde e a quinoa em flocos. Faça um mexidinho, acrescentando também sal e pimenta a gosto

4) Recheie os tomates com o preparo da panela e finalize com o parmesão ralado.

5) Leve ao forno por cerca de 15 minutos ou até que os tomates fiquem macios.


ALMÔNDEGA SEM GLÚTEN


500g de patinho moído

3 colheres de sopa de cheiro verde picado bem fininho

2 colheres de sopa de farinha de arroz

1 ovo

½ colher de café de noz moscada ralada na hora

Preparo:

1) Sal e pimenta a gosto

2) Misture todos os ingredientes, formando uma massa homogênea.

3) Faça bolinhas e leve para assar. Sirva com molho de tomate caseiro!


Sobre o Oba Hortifruti - A rede é referência em qualidade e variedade de produtos, e oferece diariamente um atendimento mais próximo, que prioriza o relacionamento com o cliente, garantindo o equilíbrio perfeito entre sabor e saúde para a vida das pessoas. Acredita que reunir a família e os amigos ao redor da mesa é um momento gostoso e saudável. Referência em saudabilidade e prazer em comer bem, O Oba é fonte para quem deseja manter uma boa alimentação.

A rede já foi premiada duas vezes pela Folha de S. Paulo, na pesquisa Top Of Mind, como a marca mais lembrada pelos brasileiros na categoria hortifruti, pela edição da revista Veja Comer & Beber, como o estabelecimento mais amado pelos paulistanos e também no ranking IBEVAR – FIA 2020, como uma das empresas mais eficientes do varejo brasileiro.

Atualmente, a marca possui mais de 55 lojas espalhadas pelos Estados de São Paulo, Goiás e Distrito Federal. Com mais de 40 anos de história, o Oba expandiu sua atuação no mercado com setores de frios e laticínios, açougue, adega, mercearia, importação própria, pré lavados, lanchonete, floricultura, padaria e restaurante, que complementam o setor de hortifruti.

Acesse: www.obahortifruti.com.br

Siga o ObaHortifruti

Site: https://obahortifruti.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/obahortifruti/

Instagram: https://www.instagram.com/obahortifruti/

NOSSAS LOJAS

ü 212 Sul

ü 105 Sul

ü Sudoeste (CLSW 302)

ü Shopping Iguatemi (Setor SHIN CA 4 Bloco A Loja 79)

ü 306 Norte

ü 209 Norte

ü Lago Sul (QI 9)

ü Lago Sul (SMDB Cj. 12)

ü Águas Claras (Av. das Araucárias, rua 18)

ü Subida do Colorado (Setor Habitacional Taquari)

ü Vicente Pires


Fotos: divulgação