• Viviane Campos

Conheça a região de Moeda: história e gastronomia numa viagem bate-volta


Os passeios vão do esporte radical em meio às paisagens, à história e a culinária mineira

Moeda é um município que agrada aos mais diversos tipos de turistas: tem história, gastronomia e até ecoturismo. A pequena cidade está bem pertinho de Belo Horizonte, fica a cerca de 60km da capital. O destino é ideal para turistas e, principalmente, para os belorizontinos que gostam de viagens bate-volta com belas paisagens pela região metropolitana, mas não dispensam a boa culinária mineira. Alguns dos pontos turísticos mais charmosos da região vão desde a aventura na natureza ao conforto dos restaurantes com nossa gastronomia raiz: A Serra da Moeda, possui uma das paisagens mais lindas da região. O topo da montanha tem cerca de 1500m de altitude. A Serra tem cerca de 70 km de extensão e faz a divisa entre Moeda e Brumadinho. Por lá, é possível caminhar pelas trilhas paradisíacas e os mais corajosos podem se aventurar num voo de parapente. Moeda também faz parte do percurso da estrada real. Para quem gosta de história, a pequena cidade conta com uma estação de trem que funcionava com o transporte de passageiros no século passado: a Estação de Trem de Moeda. Agora, o espaço virou ponto turístico. A região fez parte da Estrada de Ferro Central do Brasil, uma das principais ferrovias do país durante o Brasil Império.



Como uma boa cidade de Minas Gerais, a culinária se destaca com restaurantes que servem a tradicional comida mineira, Moeda conta com restaurantes que são uma atração à parte.

O restaurante Trem, especializado em gastronomia raiz, conta com receitas típicas do estado como a carne de lata, uma receita tradicional da mãe de um dos donos. “A casa também conta com pratos como torresminho, linguiça, mandioca e feijoada. Aos fins de semana, o espaço funciona do almoço ao jantar com músicas ao vivo, que vão do jazz, blues, chorinho e MPB, ao samba de raiz”, conta Luiz Antunes, sócio proprietário do Trem.



Para os amantes de cachoeiras, Moeda também tem programação: a Cachoeira do Paiolinho que fica a 15km do centro da cidade. A cachoeira tem 10 metros de queda e é uma das mais visitadas da região. Como a região das águas tem uma estrutura de apoio, a entrada é cobrada.. Pertinho dali, em Belo Vale, tem também a Cachoeira do Moinho. A via que vai até a cachoeira é asfaltada e a região conta com acomodações para hospedagem.

Também na região, no Museu do Escravo, é possível conhecer um pouco mais da luta contra a escravidão nos tempos de colônia. O museu fica numa construção colonial que remete ao século XVIII, em Belo Vale, na região de Moeda. Utensílios da “Casa grande” e uma senzala com objetos utilizados pelos escravos ficam no casarão no centro da cidade.

A visita ao Calçadão dos Escravos, que fica na Serra da Moeda, também é parada obrigatória para quem quer conhecer de perto um pouco mais sobre a história do estado. O percurso tem mais de 300 anos e foi construído pelos próprios escravos. O calçadão vai até Moeda Velha, que hoje faz parte do distrito de São Caetano. A caçada é feita de pedras, uma espécie de trilha que dá acesso às ruínas históricas.


Fotos: divulgação