top of page
  • Foto do escritorViviane Campos

Chef turca vence o Prêmio Mundial da Culinária Basca 2023

Conhecido como o "Nobel da Gastronomia", o Basque Culinary World Prize é um prêmio de 100 mil euros que reconhece chefs que através da gastronomia têm o poder de transformar a sociedade



A chef turca Ebru Baybara Demir foi a vencedora do Prêmio Mundial de Gastronomia Basca de 2023 por utilizar a gastronomia como uma poderosa força de integração, capacitando mulheres da Turquia e da Síria, desmantelando preconceitos e mostrando as riquezas do intercâmbio cultural. Desde distribuir refeições quentes para milhares após os terremotos de 2023 entre a Turquia e a Síria até promover grãos locais, comercializar produtos regionais e gerenciar resíduos, ela é uma força culinária da natureza. Com um espírito humanitário inabalável, ela transforma comunidades por meio de sua expertise culinária.


Originária da Turquia, um ponto de encontro cultural entre a Europa e a Ásia, Ebru Baybara Demir utiliza sua habilidade culinária como catalisadora de mudanças sociais. Ela aborda questões socioculturais urgentes, focando na integração multicultural, treinamento profissional e sustentabilidade ambiental. Após terremotos devastadores, a Chef Baybara Demir assumiu a liderança, fornecendo refeições quentes para milhares de pessoas por meio da rede "Gönül Mutfağı".


Por mais de duas décadas, ela diversificou incansavelmente seus métodos para gerar mudanças impactantes. Colaborando com organizações internacionais, governos locais, entidades público-privadas e cooperativas locais, ela não deixou pedra sobre pedra. Em Mardin, uma cidade rica em turismo, mas carente de opções gastronômicas, ela habilmente uniu a arte culinária ao turismo e ao desenvolvimento. Encorajando mulheres locais a estabelecerem suas próprias cozinhas em casas históricas para atender aos visitantes estrangeiros, ela não apenas criou oportunidades de emprego, mas também fortaleceu a indústria do turismo.

 

Culinária Humanitária Extraordinária


O devastador terremoto que atingiu a Síria e a Turquia no início de fevereiro chamou a atenção do mundo, e mesmo depois de três meses, a necessidade urgente de ajuda persiste. Baybara Demir, oriunda do "Gönül Mutfağı", viu isso como uma oportunidade de continuar seus esforços humanitários em andamento, fornecendo refeições quentes para milhares em meio ao caos. O uso da gastronomia pela Chef Baybara tanto para capacitar mulheres quanto para ajudar na integração de refugiados sírios por meio do projeto da ACNUR, Escola de Gastronomia de Harran, a colocou em uma posição única para enfrentar os desafios causados pelo terremoto.

Desde que retornou à sua terra natal, Mardin, ela tem trabalhado não apenas para revitalizar a cena culinária e o turismo da província, mas também para fornecer oportunidades de emprego, especialmente para mulheres, na região.


Atualmente, ela está apoiando o projeto "Da Terra ao Prato", uma cooperativa de desenvolvimento agrícola, na qual voluntários de Mardin concentram-se em aumentar a produção e o consumo de grãos locais e ancestrais, como o sorgül, além de fabricar produtos como sabonetes e geleias, que são vendidos online. Ela está envolvida na gestão de resíduos biodegradáveis para feiras de agricultores em Diyarbakır. O objetivo é aproveitar frutas e vegetais descartados para produzir fertilizantes agrícolas.

O Prêmio Mundial de Gastronomia Basca (BCWP), agora em sua 8ª edição, é um prêmio único de €100.000, criado pelo Governo Basco e pela Basque Culinary World Prize, que continua dedicado a reconhecer o poder transformador da gastronomia ao compartilhar histórias inspiradoras de chefs que têm impactos positivos além da cozinha. Com cada edição, por meio do laureado e menções especiais, o BCWP instiga a comunidade global a explorar diversas áreas onde chefs contribuem para a sociedade. Em 2022, o prêmio destacou a importância de preservar as tradições culinárias africanas e aproveitar a gastronomia como uma força para combater as mudanças climáticas. Este evento faz parte do ano "Euskadi Japan 2023", uma iniciativa multi setorial que visa dar visibilidade e intensificar as relações entre o País Basco e o Japão, e promover o País Basco no Japão. O objetivo é fortalecer as relações e gerar novos projetos e colaborações nos campos institucional, empresarial, cultural, gastronômico e turístico.

Além de Ebru, o júri do BCWP também reconheceu o trabalho de duas outras chefs, concedendo reconhecimento especial a:


  • Nicole Pisani (Reino Unido) por sua dedicação em advogar pelos vulneráveis, revolucionando a alimentação nas escolas com sua iniciativa visionária Chefs in Schools. Através de experiências culinárias imersivas, hortas de vegetais e seus aclamados livros de receitas, ela capacita crianças e transforma a maneira como elas pensam sobre comida.

  • Heidi Bjerkan (Noruega) por sua integração de abordagens sustentáveis, como um sistema alimentar circular em seu restaurante Credo, e sua iniciativa visionária, Vippa, que fornece uma plataforma para empreendedores em ascensão, com foco especial em imigrantes e jovens noruegueses, rompendo barreiras através de criações culinárias diversas.

 

Em resposta à sua vitória, Ebru declara:


"Estou incrivelmente honrada e grata ao júri que me considerou digna do Basque Culinary World Prize. Essa premiação destaca o impacto significativo da comida e da culinária na vida das pessoas e nas sociedades. Aprendi essa lição valiosa há 25 anos em Mardin, onde um grupo notável de mulheres acreditou em mim. Desde então, minha jornada tem sido dedicada a iniciativas que beneficiam indivíduos, o meio ambiente e a sociedade, abrangendo todo o ciclo alimentar, desde o solo até o prato e de volta novamente."


Joan Roca, Presidente do Júri do Basque Culinary World Prize, disse:


"Ebru é um exemplo extraordinário de humanidade, compromisso e força. Além disso, sua conexão com as diferentes realidades envolvidas na gastronomia destaca a importância do solo e de como nossos ingredientes são nutridos, bem como a importância da biodiversidade como defesa contra o avanço das mudanças climáticas. Seu trabalho destaca como a comida pode ser usada para integrar refugiados e pessoas deslocadas, e sua capacidade de gerar oportunidades de desenvolvimento. Seus esforços também demonstram o papel da comida na criação de espaço para o diálogo entre diferentes culturas, mesmo aquelas em conflito. Nos últimos vinte anos, o trabalho de Ebru tem respondido a questões sobre esses assuntos, mostrando consistentemente como a conexão, colaboração e sinergia são fundamentais para enfrentar problemas coletivos."


Michel Bras, membro do júri do Basque Culinary World Prize, acrescentou:


"Fiquei incrivelmente impressionado com todos os finalistas. Lembro-me das mães e do papel que desempenham no campo. Como filho do campo, acredito que as três merecem grandes elogios. Fui particularmente comovido com Ebru - estamos vivendo um período de guerras, e é fácil esquecer ou ignorar esse fato. Acredito que existem duas batalhas dentro das guerras: há, é claro, a dos homens que lutam na linha de frente com suas armas. Mas há também a batalha muitas vezes ignorada das mães para alimentar e nutrir, cuidando dos jovens e dos idosos. Seu trabalho, que elas fazem nas sombras, é verdadeiramente nobre."


Dominique Crenn, membro do júri do Basque Culinary World Prize, parabenizou a vencedora e disse:


"Uma verdadeira empreendedora social, Ebru se levantou e serviu sua comunidade em tempos de crise humanitária e desastre. Seu trabalho não apenas é um exemplo para todos nós, mas sua intenção e propósito para a humanidade também são os maiores presentes."


Joxe Mari Aizega, Diretor Geral do Basque Culinary Center, acrescentou:


"Encaramos com entusiasmo a seleção do vencedor da 8ª edição do BCWP, o entusiasmo de continuar a adicionar testemunhos à comunidade do BCWP, que continua a crescer e se fortalecer. Há oito anos, criamos o prêmio BCWP para promover a dimensão social da gastronomia. Durante esse tempo, recebemos indicações de 800 homens e mulheres de 42 países ao redor do mundo, já que se trata de um movimento global. Este ano, estamos mantendo nosso compromisso com profissionais que aspiram a se conectar com as necessidades atuais, mulheres como Ebru, Nicole e Heidi. Três chefs com histórias e experiências inspiradoras que geram impacto social a partir da cozinha e que aproveitaram sua vocação empreendedora, conhecimento e criatividade para influenciar a integração social, sustentabilidade e educação gastronômica."


Bittor Oroz, Vice-Ministro de Agricultura, Pesca e Alimentação do Governo Basco, mencionou:


"Este prêmio é um componente importante da Estratégia EUSKADI BASQUE COUNTRY do País Basco, que aspira associar os valores compartilhados pela sociedade basca - como inclusão, determinação e colaboração - à imagem do País Basco, tornando-o nosso cartão de visitas em nível internacional. Através deste prêmio, ampliamos nossa presença global e fortalecemos Euskadi como líder gastronômico. A gastronomia, quando vista como um elo crucial na cadeia alimentar, proporciona uma mudança transformadora, trazendo novas perspectivas e abordando questões sociais que nos afetam a todos. O País Basco tem como objetivo se tornar um agente de mudança, unindo esforços e contribuindo para a busca global de desenvolvimento humano sustentável."

 

Prêmio Mundial de Culinária Basca


Criado em 2016 pelo Governo Basco e pelo Centro de Culinária Basca, o prêmio continua reconhecendo chefs que aproveitam seu conhecimento, talento, criatividade e força para fazer parte das mudanças sistêmicas exigidas por nossa sociedade.’

O Prêmio Mundial de Culinária Basca é um prêmio único concedido pelo Centro de Culinária Basca, uma instituição acadêmica líder mundial em gastronomia, e pelo Governo Basco, no âmbito da abrangente estratégia Euskadi-País Basco. O prémio reconhece o trabalho de chefs com iniciativas transformadoras e contribui com 100 mil euros para um programa social escolhido pelo vencedor.


O vencedor é escolhido por um júri formado pelos chefs mais influentes do mundo. Este ano, o júri do BCWPcomposto por membros do Conselho Internacional do Centro de Culinária Basca reuniu-se em Tóquio, Japão. O vencedor do BCWP de 2023 foi anunciado no Traditions in Motion, um encontro gastronômico coorganizado pelo Centro de Culinária Basca e Yoshihiro Narisawa. O júri foi presidido pelo chef Joan Roca (Espanha, El Celler de Can Roca) e outros renomados chefs como Yoshihiro Narisawa (Japão), Gastón Acrio (Peru), Michel Bras (França), Manu Buffara (Brasil), Dominique Crenn (França/EUA), Trine Hahnemann (Dinamarca), Pia Leon (Peru), Narda Lepes (Argentina), Elena Reygadas (México), Josh Niland (Austrália) e Thitid “Ton” Tassanakajohn (Tailândia)

 

Biografia das Menções Honrosas

Nicole Pisani (Reino Unido)


A renomada chef britânica Nicole Pisani não apenas é autora de livros aclamados como "Salt, Butter, Bones" e "Magic Soup", mas também é uma defensora apaixonada pelo fim da pobreza alimentar infantil por meio de sua campanha #EndChildFoodPoverty. Anteriormente chefe de cozinha do prestigioso restaurante NOPI, em Londres, até 2014, Pisani redirecionou seu foco para as refeições escolares e co-fundou o "Chefs in Schools", um projeto inovador sediado em Londres que revoluciona a alimentação coletiva em escolas primárias.

O projeto, com sede em Londres, concentra-se em melhorar a qualidade das refeições dos refeitórios escolares, das quais muitos alunos, especialmente os desfavorecidos, dependem para obter uma nutrição adequada. Isso é alcançado por meio da realização de programas de "intervenção" nos refeitórios, com a organização trabalhando com 80 escolas e atingindo cerca de 30 mil alunos diariamente.


Heidi Bjerkan (Noruega)


Bjerkan é uma figura proeminente na cena culinária norueguesa e lidera o caminho em sustentabilidade. Por meio de sua integração bem-sucedida de várias abordagens em seus projetos, ela ativou uma economia circular dentro do sistema alimentar, dando vida ao discurso da sustentabilidade. Notavelmente, sua relação especial com agricultores locais na região de Trondheim, fortes defensores de alimentos orgânicos, estabelece um exemplo inspirador. Ela os incorpora em seu renomado restaurante Credo e fomenta relacionamentos simbióticos que facilitam a troca de conhecimento e oportunidades.

Desde 2017, Bjerkan desempenha um papel fundamental no Vippa, uma incubadora-aceleradora social que capacita indivíduos com recursos limitados a estabelecerem seus próprios pequenos negócios de alimentos. Localizado em um antigo armazém de peixes no porto de Oslo, o Vippa é um mercado interno movimentado que oferece delícias culinárias de todo o mundo. Empreendedores em ascensão enviam propostas e, se aceitas, recebem uma barraca por um ano para consolidar seus negócios. Bjerkan e sua equipe avaliam a viabilidade dos projetos além do mercado Vippa, nutrindo novos talentos e cultivando as ofertas orgânicas e sustentáveis da cidade.

 

O processo de seleção do ganhador do Prêmio Mundial de Culinária Basca 


Durante quase um mês, profissionais do setor e instituições indicaram chefs em uma escala verdadeiramente global que demonstram o potencial da gastronomia para catalisar mudanças em áreas como integração social, sustentabilidade e educação, entre outras. O Basque Culinary Center montou uma equipe para realizar um processo de busca e verificaçãominucioso em perfis diversos.


Jock Zonfrillo


Após receber a comovente notícia da morte prematura de Jock Zonfrillo, o amado e inspirador chef e ganhador do BCWP 2018, o diretor geral do Centro de Culinária Basca, Joxe Mari Aizega, disse:

“Lamentamos a trágica perda de Jock Zonfrillo e estamos comprometidos em levar adiante seu profundo legado: encorajar o chef a utilizar seus conhecimentos e recursos para proteger e nutrir as comunidades. Continuaremos a destacar o poder transformador dos chefs em todo o mundo, cuja mentalidade inovadora se estende além da cozinha, promovendo transformações significativas e positivas em suas comunidades”.

 

NOTA AO EDITOR:


  1. O Basque Culinary World Prize é um prémio atribuído pelo Governo Basco e Basque Culinary Center, no âmbito da estratégia global da Euskadi Basque Country que representa uma marca-país que, pelas suas valências e singularidades, se posiciona como uma referência de excelência, como um modelo qualidade de vida e coesão social e como território inovador e competitivo.

  1. O Basque Culinary Centre é uma instituição acadêmica pioneira em todo o mundo em sua dedicação à educação universitária e ao desenvolvimento do potencial da gastronomia em relação à educação, pesquisa, inovação e empreendedorismo. Desde sua criação em San Sebastián em 2009, concentrou seus esforços na criação de um espaço interdisciplinar que contribua para a profissionalização do setor. Desde a sua criação, a instituição desenvolveu sua visão de Gastronomia 360º por meio de diferentes iniciativas. Este ano, as conquistas e os desafios futuros serão celebrados com base nos valores da entidade: paixão, excelência, inovação e compromisso social. 

  1. As nomeações de chefs com iniciativas transformadoras foram abertas a profissionais, instituições e especialistas do setor gastronômico de março a maio de 2023. Além disso, foi realizado um processo interno de busca e verificação dos chefs nomeados.

  1. Em 2022, Fatamata Binta ganhou o prêmio por apresentar a cultura culinária nômade sustentável e explorar a diáspora da culinária da África Ocidental por meio de sua iniciativa “Dine on a Mat”; 2021 Xanty Elías ganhou o Basque Culinary World Prize por influenciar a educação alimentar de meninos e meninas, por meio de sua iniciativa “Los niños se comen el futuro”; Em 2020, o chef José Andrés mereceu o prêmio pela resposta contundente, global e inspiradora à crise gerada pelo COVID-19 que ofereceu através da World Central Kitchen. Em 2019, Anthony Myint ganhou o prêmio por usar a gastronomia como um motor para combater as mudanças climáticas. Em 2018, o reconhecimento foi dado ao chef escocês Jock Zonfrillo, que trabalha para preservar a memória alimentar dos povos originários da Austrália e embarcou na tarefa de descobrir e resgatar essa cultura milenar. A chef colombiana Leonor Espinosa ganhou o prêmio em 2017 por reivindicar o conhecimento ancestral das populações colombianas com Funleo. Na edição inaugural, o BCWP foi premiado com a chef venezuelana María Fernanda di Giacobbe e sua iniciativa baseada em educação, empreendedorismo, pesquisa e desenvolvimento, que gira em torno do cacau como fonte de identidade, cultura e riqueza econômica na Venezuela.

  2. Para mais informações, visite: www.basqueculinaryworldprize.com

Fotos: divulgação

bottom of page