• Viviane Campos

Chef Marco Espinoza é uma das estrelas do Festival Fatura 2021


Jantar a quatro mãos com a chef Giovanna Grossi acontece dia 22 de outubro, no Sagrado Mar


O premiado chef Marco Espinoza (Taypá, Cantón DF e Sagrado Mar) é um dos convidados do “Festival Fartura Gastronomia du Brasil”, que acontece simultaneamente nas cinco regiões do país, com mais de 120 chefs de todos os estados brasileiros. O evento celebra a gastronomia brasileira e valoriza os pequenos produtores locais com programação híbrida: jantares presenciais e encontros virtuais.

Marco Espinoza comanda junto com a chef Giovanna Grossi (Animus – SP) um jantar a quatro mãos, aberto ao público, dia 22 de outubro, sexta-feira, no restaurante Sagrado Mar. O menu em seis etapas custa R$ 210,00 por pessoa (serviço não incluso). As reservas podem ser feitas através dos números (61) 9197-1287 (WhatsApp) ou (61) 3201-5156 (telefone).

Menu (chefs Marco Espinoza e Giovanna Grossi)

Entrada 1 – chef Giovanna:

Gaspacho de Tangerina, camarão confit, emulsão de coentro e avelã picante

Entrada 2 – chef Marco:

Croquete de Porco, creme de alho preto, terra de quinoa

Principal 1 – chef Giovanna:

Arroz bolinha cremoso com costela bovina, gel de pitanga e tomilho, farofinha de ervas

Principal 2 – chef Marco:

Polvo com molho verde e texturas de milho

Pré-sobremesa – chef Giovanna:

Flor de Beterraba, coalhada e puxiri

Sobremesa – chef Marco:

Figos com calda de baunilha apimentada e creme de mascarpone

Além de Espinoza e Giovanna, nomes consagrados como Renata Vanzetto (Ema – SP), Rodrigo Oliveira (Balaio – SP), Morena Leite (Capim Santo), Thiago Castanho (Bayuca – PA), Manu Buffara (Manu – PR), Thomas Troigros (Le Blond – RJ) e César Santos (Oficina do Sabor – CE) também participam do Festival.

Sobre o chef Marco Espinoza

O chef peruano Marco Espinoza é um expoente da nova gastronomia no Brasil ao fundir a cozinha contemporânea com elementos, produtos, e temperos tipicamente peruanos com novas técnicas de preparo. Comanda o Taypá, em Brasília, eleito um dos cinco melhores peruanos do mundo pelo jornal Diario el Comercio, do Peru. Espinoza mudou-se de Lima para Buenos Aires aos 19 anos. Formou-se chef pelo I.A.G (Instituto Argentino de Gastronomia) e foi chef executivo da embaixada peruana na Argentina, de onde saiu para ficar à frente do restaurante Bardot, em Palermo. De lá seguiu para as principais cozinhas portenhas antes de fixar-se na capital brasileira para fundar o Taypá. Em 2013 fincou território no Rio de janeiro para estar também à frente do Lima Cocina Peruana (que em 2015 foi reconhecido pelo Guia Michelin Brasil com o mérito Bib Gourmand), nos bairros cariocas de Botafogo, Laranjeiras e Tijuca, além da unidade de Niterói. O chef comanda também o El Chaco Parrilla, com endereços em São Paulo e Rio de Janeiro; o Cantón, no Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo; e o Sagrado Mar, também em Brasília, ao lado dos seus sócios no Taypá.

Com o título recebido pelo Taypá de ‘Melhor Restaurante Peruano no Brasil’ do governo do Peru, Espinoza recebeu uma medalha pelo seu talento e excelente trabalho realizado no restaurante. Foi eleito chef do ano pelo júri de Veja Brasília “Comer & Beber” em 2014 e pelo guia gastronômico Brasília Show Gastronomia 2016/2017. Também foi convidado para comandar a cozinha da Casa do Peru, nas Olímpiadas Rio 2016.


Sobre Giovanna Grossi

Ela não se lembra, mas quando completou 40 dias, os pais a levaram de Jaú, no interior paulista, para Maceió, a capital alagoana. A memória de crescer comendo cuscuz e macaxeira, porém, é muito presente, assim como a de ter passado natais, réveillons e outros feriados dentro de restaurante, pizzaria e cachaçaria desde que se conhece como gente.

Foram os negócios familiares que inspiraram Giovanna a cursar Gastronomia na Anhembi Morumbi e a partir para a França, em 2012, onde estudou no célebre Instituto Paul Bocuse, integrou a equipe do triplamente estrelado Le Taillevent, aperfeiçoou-se em confeitaria no Instituto Alain Ducasse e estagiou no Maison Pic de Valence.

Coisa de sagitariana que adora mudar, partiu então para a Espanha. Em 2014, inscreveu-se no Basque Culinary Center, em San Sebastian, fez uma temporada no Quique Dacosta e seguiu para Barcelona, onde formou-se em confeitaria para restaurante na respeitada Espai Sucre.

O retorno para o Brasil ganhou alento pela seleção para o Bocuse d’Or, principal concurso gastronômico internacional para jovens chefs. Aos 23 anos de idade, Giovanna venceu a etapa brasileira e a latino-americana, no México, e, em 2017, foi a primeira mulher brasileira a chegar às finais mundiais, novamente em Lyon.

O ineditismo se repetiu este ano quando, a convite de Laurent Suaudeau, foi a única jurada dessa Copa. Atualmente, a chef comanda a Academia Brasil d’Or (organização sem fins lucrativos que ela mesma criou para divulgar nossa cozinha e formar times de competição para o Bocuse d’Or) e começa a trilhar o caminho de cozinheira com casa própria.

Jantar Marco Espinoza e Giovanna Grossi

Festival Fartura

Dia 22 de outubro, sexta-feira

Menu em seis etapas: R$ 210,00 (serviço não incluso)

Reservas: (61) 9197-1287 (WhatsApp) ou (61) 3201-5156 (telefone).


Fotos: divulgação